sábado, 14 de agosto de 2010

BAHIA I - novos amigos :)

sumi né? o motivo é delicioso e fica fácil entender a minha "lentidão" em atualizar o blog pq ainda to no clima dela - Bahia :) ô terra boa. Foi demais. Conhecemos algumas pessoas e lugares que certamente jamais esquecerei e deu vontade de contar aqui. Então, vamos por partes. Primeiro as pessoas:

índios que conhecemos assim que pisamos em Caraiva. Já me encheram de pulseiras e colares feitos de diversas sementes antes mesmo de chegar na pousada.

quando saímos para a 1a caminhada na praia de Caraiva, encontramos uma reserva dos índios, há uns 2 km de distância de onde estavamos hospedados. São umas casinhas construídas onde vivem algumas famílias indígenas (mas a grande parte fica mesmo na aldeia Pataxós, que fica láá na ponta, mais uns 4 km). Estavamos passando e esse menininho da careta, que não lembro agora o nome -até pq os nomes deles não são nada comuns, rs - chamou a gente pra tomar uma água de coco (fofo), o pai dele subiu no coqueiro e nos ofereceu os cocos fresquinhos, sem cobrar nada. Ele adorava conversar e contou que queria ser fotógrafo e advogado, dei a máquina na mão dele, se divertiu horrores. O pai deu uma bronca na gente pq tiramos a foto fazendo careta, rs, segundo ele, fazer careta nas fotos, evoca os espíritos do mal. Eu ein.

esse é o Pézinho. Figura que levou a gente de buggy pra fazer o passeio em Corumbau e na aldeia. Mora na aldeia há seis anos junto com os índios. Raridade isso acontecer. Histórias boas pra contar, é o único mecânico da região, conserta todo tipo de motor. Assim que chegamos na praia ele solta um "bom gente, agora vou dar uma descansada". Gargalhamos, é realmente muito cansativo dirigir 6 km, hehe.

Tucuriiiiii. Meu querido amigo índio que fiz na praia. Tava ali de bobeira, ele chegou com os artesanatos e engatamos um papo de hoooooras a fio, me contou a vida toda. Casado com Cotia, 41 anos, pai de 10 filhos, todos estudam na aldeia, ele estudou até a 8a série, ama matemática, ficamos brincando de tabuada, ahahaha. Gente fina. Quando contei que no dia seguinte ia pra Corumbau (que é perto da aldeia), ele disse, "ah Daniela, então vc vai passar lá em casa na volta, quero que vc conheça minha mulher e meus filhos. Vamos tomar uma água de coco e comer uma farofa de ...(não lembro o nome)". falei: "Tucuri, amanhã estarei lá, pode ter certeza! é fácil te achar?" ele: "ô, pode perguntar pra qq um que todo mundo me conhece". Fiquei ansiosa pra chegar o dia seguinte, rs. Ah, todos eles tem o nome indígena e um nome comum, um dos filhos dele (o mais arteiro) se chama Rodrigo, nossa, pronto! também ficou melhor amigo do Ro por esse motivo.

Chegamos na aldeia no fim da tarde. Muitos índios estavam reunidos na porta da igreja, os homens tavam fazendo um curso sobre construção com os brancos - tudo com a supervisão do cacique, que decide do que pode ser plantado até em quem todo mundo vai votar, e segundo a índia da vendinha, uns obedecem, outros não. O fato é que todas as casas tinham cartaz da Dilma colado na porta (ai).

eis que chegamos na casa do Tucuri, o povo sabia mesmo indicar exatamente onde era a casa dele, pq a aldeia é grande! tipo um bairro, só que com as casinhas de barro no mato e longe umas das outras. Gente! e a alegria dele quando viu o buggy chegando. Correu pra receber a gente, foi logo apresentando a mulher e a filharada. Ficamos batendo papo um tempão, fez questão de me presentear com alguns artesanatos que faz com os meninos. Foi bem legal. Esse da foto é o Renan, filho mais novo deles.

Fui embora de lá realizada, feliz! Com a sensação de como valeu a pena e foi especial pra mim (acho q pra ele tb) ter conhecido alguém com a realidade tão diferente da minha, mas que me ativou o botão da compaixão e a anteninha da sinergia. Ele disse: "o sangue que corre em você, corre em mim também". Energia incrível e experiência inesquecível.

Depois conto das praias e do que me chamou atenção em cada lugar que passei - as igrejinhas :)

5 comentários:

  1. Legal né Mumi..saudades

    Ro

    ResponderExcluir
  2. Que d+, Dani!
    Como é enriquecedor conhecer outras culturas!
    Por isso vale a pena ralar, acordar cedo, enfim... rs

    ResponderExcluir
  3. adorei a sacola de corações... aonde vc comprou???

    ResponderExcluir
  4. máximo trique!
    adorei ver seus novos amigos.

    ResponderExcluir